Sem categoria

Trump diz que EUA designarão cartéis mexicanos de drogas como terroristas

O presidente dos EUA, Donald Trump , anunciou que os Estados Unidos querem designar cartéis mexicanos de drogas como grupos terroristas por seu papel no tráfico de narcóticos e pessoas, solicitando um rápido pedido de negociações pelo México .

“Eles serão designados … eu tenho trabalhado nisso nos últimos 90 dias. Você sabe, a designação não é tão fácil, você precisa passar por um processo, e nós estamos bem nesse processo”, disse Trump em um comunicado. entrevista com o ex-apresentador da Fox News Bill O’Reilly, que foi ao ar na terça-feira .

Logo depois, o Ministério das Relações Exteriores do México emitiu um comunicado dizendo que buscaria rapidamente uma reunião de alto nível com funcionários do Departamento de Estado dos EUA para tratar da designação legal, bem como do fluxo de armas e dinheiro dos EUA para o crime organizado no México.

“O ministro das Relações Exteriores estabelecerá contato com seu colega Michael R. Pompeo, a fim de discutir esta questão muito importante para a agenda bilateral”, afirmou o ministério.

Uma vez que um grupo específico é designado como organização terrorista, é ilegal, de acordo com a lei dos EUA, que pessoas nos Estados Unidos ofereçam conscientemente apoio.

Também é negada a entrada de seus membros no país, enquanto as instituições financeiras que tomam conhecimento de que têm fundos conectados ao grupo devem bloquear o dinheiro e alertar o Departamento do Tesouro.

Fluxo de armas dos EUA

Reagindo aos comentários de Trump, o ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, disse em um tweet que o México nunca toleraria qualquer medida que viole sua soberania nacional.

“Seremos firmes”, acrescentou Ebrard.

No início deste mês, Trump se ofereceu em um tweet para ajudar o México a “travar a guerra contra os cartéis de drogas e limpá-los da face da terra” após o ataque mais sangrento contra os cidadãos americanos no México nos últimos anos.

Três mulheres e seis filhos de dupla nacionalidade mexicana e americana foram mortos em uma emboscada no norte do México. As autoridades mexicanas disseram que podem ter sido vítimas de identidade equivocada em meio a confrontos entre quadrilhas de traficantes na área.

Alex LeBaron, ex-congressista mexicano e parente de algumas das vítimas, rejeitou a idéia de uma “invasão” dos EUA.

“Nós já fomos invadidos por cartéis terroristas”, escreveu ele no Twitter. “Exigimos uma coordenação real entre os dois países. Os dois países são responsáveis ​​pelo crescente comércio de drogas, armas e dinheiro”.

A família ampliada de LeBaron sempre esteve em conflito com os traficantes de drogas em Chihuahua e os parentes das vítimas disseram que os assassinos deviam saber quem eles estavam alvejando.

O México tem sido assediado por violência mortal com cartéis de drogas e quadrilhas criminosas que lutam pelo controle de territórios.

O número total de vítimas de mortes violentas desde que o presidente Andrés Manuel Lopez Obrador assumiu o cargo em dezembro de 2018 se aproxima de 20.000, de acordo com o Sistema Nacional de Segurança Pública do México.

Anúncio