America Latina Gangues México

México: 19 corpos encontrados pendurados em pontes, abandonados nas estradas

A descoberta de corpos em três locais diferentes parece fazer parte de uma guerra entre gangues de drogas rivais, diz o promotor.

Autoridades na cidade mexicana de Uruapan encontraram os corpos de 19 pessoas em três locais diferentes, incluindo alguns que estavam pendurados em pontes. Falando a repórteres na quinta-feira, o promotor-chefe do Estado de Michoacán, no oeste do país – onde fica Uruapan – disse que o incidente parece estar ligado a gangues de drogas rivais que operam na área.

“Há uma guerra entre as células [locais] de diferentes grupos criminosos. Elas estão lutando pelo controle territorial sobre a produção, distribuição e consumo de drogas”, disse Adrian Lopez. “Isso leva a esse tipo de incidente, que alarma a população e com razão”, acrescentou.

Imagens transmitidas pela mídia local mostraram vários corpos pendurados em um viaduto em Uruapan, ao lado de uma mensagem ameaçadora impressa em uma grande folha – uma tática de intimidação frequentemente vista em guerras de territórios de cartel. Outros corpos foram encontrados cortados e abandonados ao longo da estrada, disse Lopez.

“Esse tipo de violência pública e teatral, em que você não apenas mata, mas se gaba de matar, pretende intimidar os rivais e enviar uma mensagem às autoridades”, disse Alejandro Hope,  analista de segurança, à agência de notícias Associated Press.”Esse tipo de impunidade cínica tem aumentado em Michoacán”, disse Hope.

O estado é um ponto crítico nas violentas guerras do crime organizado que varreram o México nos últimos anos. Michoacán é onde o governo implantou o exército pela primeira vez para combater as gangues criminosas em 2006 – uma estratégia que os críticos dizem que só levou a uma escalada na violência. O México registrou mais de 250.000 assassinatos desde então, incluindo um novo recorde de 33.755 no ano passado.

O presidente esquerdista, Andres Manuel López Obrador, que assumiu o cargo em dezembro, prometeu reduzir a violência usando uma estratégia baseada em torno da recém-lançada Guarda Nacional, que está assumindo o trabalho de combater os cartéis da polícia militar e federal.

No entanto, seu governo até agora não conseguiu reduzir os homicídios, que estão prestes a bater um novo recorde, com 14.603 assassinatos relatados de janeiro a junho de 2019.

Anúncio